sábado, 22 de junho de 2013

Instalações elétricas mal feitas encarecem a conta de luz de 1,5% a 2,5%

Instalações elétricas mal conservadas causam desperdício de energia e deixam a conta de luz mais cara no final do mês. A conclusão é do estudo "Análise de Perdas em Instalações Elétricas Residenciais", realizado como tese de mestrado na Universidade de São Paulo pelo engenheiro eletricista Ricardo Santos D´Ávila.           
O estudo comprova que problemas nas instalações elétricas geram perda de energia de 1,5% a 2,5%. "Essa energia passa pelo medidor, só que não é transformada em trabalho útil, pois é gasta com aquecimento de condutores em instalações residenciais", explica o profissional. 

 Para um consumo de 202 KWh por mês que equivale a R$ 75,92, o desperdício, em um ano, é de 24 KWh ou, em reais, R$ 9,01. Em uma cidade como São Paulo, por exemplo, onde 80% das residências com mais de 20 anos estão com as instalações elétricas precárias, a soma chega em média a R$ 1,7 milhão por ano, considerando-se que a cidade tem mais de 16 mil edifícios antigos. 
       
 "A revisão das instalações elétricas deve ser feita por profissionais qualificados. Mexer nas instalações elétricas pode causar choques sérios, com risco de morte. O morador deve ficar atento a fios descascados e desencapados, tomadas penduradas, quadros de luz sem tampa e fiação exposta. Outros sinais claros de problemas são o apagar de uma luz quando se acende a outra, ou a luz não acender quando o interruptor é acionado", diz D´Ávilla. 


            Como detectar problemas nas instalações elétricas:

  Choques no chuveiro, disjuntor desarmando, oscilações na luz, equipamentos demais, tomadas de menos... Essas cenas são muito comuns em grande parte das residências e sinalizam um grave problema: instalações elétricas obsoletas ou mal dimensionadas.

           Esse mal acarreta resultados graves para a população e para o patrimônio, como falta de segurança, risco de acidentes e desperdício de energia. Para evitar tudo isso, é necessário realizar verificações periódicas nas instalações elétricas, e reformas e adequações sempre que necessárias. Para saber quando está na hora de fazer a avaliação, confira abaixo as orientações de Edson Martinho, engenheiro eletricista e consultor do Programa Casa Segura: 

  •   Se a sua casa, apartamento ou condomínio tem mais de 10 anos e jamais passou por uma reforma no sistema elétrico, certamente está na hora de realizar uma verificação completa, com um profissional habilitado. Isso deve se repetir a cada 5 anos, mais ou menos.
  •  Fios e cabos com sinal de aquecimento mostram a necessidade de um check-up, pois indicam que há uma sobrecarga e que a instalação deve estar inadequada para as atuais necessidades de consumo.
  •  As instalações elétricas devem ter o fio terra instalado em todas as tomadas para proteger as pessoas contra o choque elétrico. Por este motivo todas as tomadas devem ser aquelas com o modelo de 3 pólos. Se sua instalação não possui esta configuração, programe uma reforma. 
  • Os quadros de forças não podem ser feitos em madeira ou qualquer outro material combustível. Se isso ocorre, eles devem ser trocados. Assim como as demais partes da instalação. 
  • Fusíveis tipo rolha ou cartucho são inadequados e devem ser substituídos. 
  • Caixas de passagem abertas, fios desencapados e emendas mal feitas são sinais de perigo e devem ser corrigidos imediatamente. 
 fonte http://www.bonde.com.br


Eletricista em São Vicente e região.
13 98220-7826
 13 3566-9172

domingo, 9 de junho de 2013

Instalação Elétrica de qualidade é sinônimo de economia



Infelizmente quando se procura reformar uma casa ou mesmo construir uma. Faz-se um pacote com um pedreiro. Estrutura, alvenaria, acabamento, hidráulica e ELÉTRICA.  






Ai está o erro. Este profissional tem toda essa qualidade e qualificações?

Bom se tiver é realmente fazer prova e pratica: Ótimo. – meu sonho era aprender rebocar, mas...
 






Vou cuidar da minha área. 
Se profissional não tiver na mente no mínimo essas contas  – imagem 2. – e não tiver feito um curso para aprender o que é resistência, corrente e tensão elétrica e que emenda não é nó. Um...... O proprietário está perdido. Meu querido, minha querida a luz pode até acender e o chuveiro esquentar, mas o quando você estará pagando para que usar essa energia? Se quem você contratou tiver o devido o conhecimento creio que você estará pagando o justo. Mas se você fez um desses contratos que o pedreiro faz tudo sem se quer ter prova de seu conhecimento com certeza esta pagando por mau contato e joule e fuga de corrente.




O correto é antes de se levantar as paredes o dono da obra contrate um eletricista, pois existe um limite mínimo para tomada e iluminação para cada cômodo da sua casa. E se você tiver necessidade de ter mais tomada todo o circuito será calculado para que você não gaste mais com cabo e nem faça economia à base da porcaria.
O pensamento mesquinho de quanto mais tomada mais eu gastarei de energia porque ligarei mais eletrônicos. Que nada quando não se respeita a norma ou não se projeta o ambiente direito começa a aparecer Benjamim e tomada derretida por ter sido mal projetada (ou nem projetado).




Um bom exemplo é a tomada do chuveiro. Caros amigos a NBR 5410, Norma que trata das instalações elétricas em baixa tensão, é clara em dizer que não e pode por tomada em chuveiro. Vamos lá, geralmente se projeta o chuveiro para um chuveiro popular de 5500 W se a tensão é 220V você terá uma corrente de 25. No Brasil as tomadas normais que se encontra por ai é 10A e 20A e agora? Os outros 5. Se for em 110 V difásico ou 127 V monofásico ai fica pior. Só no 127 V você terá uma corrente de 43,1A. Aí só se você comprar uma tomada industrial, mesmo assim não pode!




Seja prudente. Cuide do que é seu, contrate um profissional qualificado que possa te auxiliar numa busca por uma maior qualidade de energia.


Eletricista em São Vicente e Santos:

Reforma e instalações elétricas em geral



Tim:

981933562